De acordo com o relatório divulgado na 8ª assembleia da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA, na sigla em inglês), os custos com a geração de energia solar fotovoltaica terão uma queda de 50% até 2020. Vale ressaltar que estes custos já apresentam uma queda de 70% desde 2010.

De acordo com o relatório divulgado na 8ª assembleia da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA, na sigla em inglês), os custos com a geração de energia solar fotovoltaica terão uma queda de 50% até 2020. Vale ressaltar que estes custos já apresentam uma queda de 70% desde 2010.

A Geração Distribuída no Brasil este mês alcançou uma marca histórica, os sistemas de microgeração e minigeração distribuída atingiram 200 MW de potência instalada acumulada. Deste montante, 88,5% são de projetos eólicos, hídricos e fotovoltaicos.

A Geração Distribuída no Brasil este mês alcançou uma marca histórica, os sistemas de microgeração e minigeração distribuída atingiram 200 MW de potência instalada acumulada. Deste montante, 88,5% são de projetos eólicos, hídricos e fotovoltaicos.

Nos leilões de energia, as eólicas são a segunda fonte mais barata para contratação, ficando atrás apenas das grandes hidrelétricas. Estes dados mostram o surpreendente potencial eólico do Brasil e também como o setor tem amadurecido.

Nos leilões de energia, as eólicas são a segunda fonte mais barata para contratação, ficando atrás apenas das grandes hidrelétricas. Estes dados mostram o surpreendente potencial eólico do Brasil e também como o setor tem amadurecido.

De acordo com o plano, o Brasil prevê uma expansão de cerca de 41 gigawatts na capacidade instalada de geração até 2026. Deste montante, é possível que quase 50% seja suprido por fontes renováveis, tendo energia eólica e energia fotovoltaica como destaque.

De acordo com o plano, o Brasil prevê uma expansão de cerca de 41 gigawatts na capacidade instalada de geração até 2026. Deste montante, é possível que quase 50% seja suprido por fontes renováveis, tendo energia eólica e energia fotovoltaica como destaque.

Sérgio Costa, diretor executivo da VILCO Energias Renováveis, palestrou em evento realizado pela Associação Brasileira de Pequenas e Mini Centrais Hidrelétricas – ABRAPCH.

 

Sérgio Costa, diretor executivo da VILCO Energias Renováveis, palestrou em evento realizado pela Associação Brasileira de Pequenas e Mini Centrais Hidrelétricas – ABRAPCH.

 

NEWSLETTER

Digite seu Nome